sábado, 17 de junho de 2017

Não foi desejo. Nem vontade, nem curiosidade, nem nada disso. Foi um choque elétrico meio que de surpresa, desses que te deixa com o corpo arrepiado, coração batendo acelerado e cabelo em pé. Foi sentimento. Não foi planejado, nem premeditado. Foi só um querer estar perto e cuidar, tomar todas as dores e lágrimas como se fossem suas. A vontade e o desejo vieram depois, bem depois. Não foi um lance de corpo, foi um lance de alma. Não foram os olhos, nem os sorrisos, nem o jeito de andar ou de se vestir, foram as palavras. Uma saudade e uma urgência daquilo que nunca se teve, mas era como se já tivesse tido antes. Foi amor. É amor.

Ei, espera!

Não vai agora, deixa eu te olhar mais um pouquinho, deixa meu coração saber que você tá bem.

Enquanto puderes erguer os olhos para o céu, sem medo, saberás que tens o coração puro, e isto significa felicidade.

Só quero Paz...

De verdade eu só quero paz. Quero terminar os dias sabendo que nem tudo foi tão ruim assim.
Quero borrifar meu perfume, espalhar mais alegria e ter dias mais férteis pro amor nascer mais forte e bonito.
Se tiver que me despedir me despedirei. Se tiver que tentar de novo tentarei.
Eu não quero nada que não seja meu. Não quero roubar sonhos de ninguém.
Quero que a vida me dê novas chances e que eu caminhe em plena avenida como se estivesse reparando em cada detalhe do cotidiano.
Meu plano é ficar bem. É ter alguém que faça o coração bater forte; que faça minha alma suar, que deite sobre meu colo em qualquer dia que estiver disposto a ser assim.
De verdade, eu não ligo pra marcas, rótulos. Não ligo pra nada que seja exagerado.
Quero dar meu coração pra quem saiba dar o seu pra mim.

quinta-feira, 15 de junho de 2017

Coisas que não vemos…


Nós ainda estamos muito presos a “formatos”, a ideias e conceitos já estabelecidos, profundamente arraigados, que dificultam a nossa percepção deixando-nos extremamente pequenos e limitados.
Não sentimos, não percebemos, não enxergamos senão aquilo à que estamos condicionados, à aquilo que outras pessoas falam, escrevem e nos transmitem desde há muito. Muitas vezes descartamos, refutamos, ignoramos muitas coisas, devido não compreendê-las, por nos causarem estranheza, por não estarem de acordo com o que entendemos por natural e sensato às nossas referencias, às nossas informações, ao que “já temos como estabelecidos”. Quando nós realmente estamos querendo saber, descobrir, pesquisar, comprovar… aí então, nós derrubamos nossas barreiras, nossos bloqueios e começamos a encontrar as respostas, como se elas estivessem ali, dentro de nós mesmos, do nosso próprio EU, desde há muito, esperando por nós.

Palavras como belíssima, maravilhosa, fantástica, encantadora, são extremamente pobres para definir a realidade que passamos a encontrar, a enxergar, a sentir e a perceber. Surpresos então, olhamos para nós mesmos e percebemos que somos apenas coração, manifestando-se num ambiente sublime.
Quero dar-me a chance… Darei-me a chance.
                                       - Walter Cavalcanti 
Eu sou daqueles do tipo que ama de verdade, que tiraria o coração do peito só pra mostra o amor que existe nele.

As pessoas só vão perceber o quão significante você é na vida delas, depois que elas te perderem.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Muito frequentemente, nós subestimamos o poder do carinho, 
De um sorriso, uma palavra amável, 
Um ombro amigo, dar ouvidos, um elogio honesto, 
Ou o menor ato de dedicação, pois todos têm 
O poder de transformar uma vida.
(Leo Buscaglia)


“Ninguém me conhece. 
Só sabem a cor dos meus olhos, não o que eles já viram.“
— Máh Soares


“Meu amor, você não sabe quantas palavras o meu suspiro quer te falar.“